06/05/2019

Interfarma / Setor

Grupo propõe nova regulação para insumos farmacêuticos

Panorama Farmacêutico

Anvisa e entidades do setor regulado finalizam trabalho conjunto para criação de novo marco regulatório sobre o tema. A Anvisa e 13 representações do setor regulado finalizaram as discussões sobre o novo marco regulatório para Insumos Farmacêuticos Ativos (IFA). Iniciadas em setembro de 2018, as atividades do grupo foram encerradas em abril deste ano, com a realização de um seminário internacional sobre o assunto.

O objetivo da parceria foi propor melhorias na regulação por meio de trabalhos colaborativos. O resultado é uma proposta de regulamentação, que, em breve, será colocada em Consulta Pública (CP).

Um dos principais pontos da discussão foi a atual diversidade de requisitos exigidos na regulamentação de IFA no Brasil, sem uma padronização e harmonização com as recomendações do Conselho Internacional de Harmonização de Fármacos para Uso Humano (ICH).

Portanto, para o novo marco regulatório, é esperada a unificação dos requisitos para todos os IFAs sintéticos e semissintéticos, bem como a harmonização com padrões internacionais. Neste quesito, o objetivo é simplificar o processo de registo.

De acordo com a Anvisa, o insumo farmacêutico ativo é o princípio ativo do medicamento. É uma substância química ativa, fármaco, droga ou matéria-prima que tenha propriedades farmacológicas com finalidade medicamentosa, utilizada para diagnóstico, alívio ou tratamento.

Confira ao final do texto os integrantes do Grupo de Trabalho (GT) que discutiu o tema.

Processo de trabalho colaborativo

Em setembro de 2018, a Coordenação de Registro de IFA (Coifa) da Gerência-Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos (GGMED) realizou uma reunião com diversas associações e entidades com o objetivo de discutir e mapear problemas relacionados ao atual modelo de regulação de IFA no Brasil. A atividade promoveu a prática de colaboração e equilibrou a participação de cada um dos representantes do setor.

Após essa primeira reunião, em outubro de 2018 a Anvisa realizou uma série de entrevistas com cada segmento do setor regulado. A proposta foi levantar informações para compreender as críticas sobre o atual modelo regulação de IFA e as necessidades em relação à nova proposta.

Dando prosseguimento à parceria, no final do ano passado foi formado o Grupo de Trabalho (GT) Anvisa – Setor Regulado, instituído por meio da Portaria n° 1.754, de 18 de dezembro de 2018. O GT realizou nove reuniões presenciais até amadurecer uma minuta da nova regulação para IFA, que será colocada em CP.

Para a Anvisa, a formação do GT antes de realizar a consulta foi extremamente valiosa para discutir o tema de forma aprofundada e estreitar a relação com o setor produtivo.

Seminário internacional

Ainda como parte das discussões, foi realizado, nos dias 10 e 11 de abril deste ano, o Seminário Internacional sobre Insumos Farmacêuticos Ativos (IFA), organizado pelo Sindusfarma, em São Paulo. De acordo com a avaliação de vários participantes do seminário, a iniciativa de fazer o trabalho colaborativo para a discussão da regulamentação de IFA foi muito positiva.

Para a analista de assuntos regulatórios da Sandoz do Brasil Indústria Farmacêutica Ltda., Gabrielle Alves, foi uma forma inovadora de estreitamento de relações. “Durante todo o tempo do grupo de trabalho foi nítida a parceria entre todas as empresas participantes do GT e a Coifa, com o intuito de prover a melhor norma possível”, afirmou.

Para Claudia de Souza Pedrosa, da empresa farmacêutica Cristália, “foi um trabalho enriquecedor, pois envolveu especialistas de vários seguimentos da indústria farmacêutica e farmoquímica”. Já na opinião de Pollyana Segantine, do Laboratório Teuto Brasileiro S/A, a experiência foi enriquecedora. “Quebrou todas as barreiras, facilitou entendimentos, estreitou a interação entre a Anvisa e setor regulado, nos possibilitou percebermos as diversas realidades de forma transparente e inequívoca”.

Confira os integrantes do Grupo de Trabalho (GT) sobre IFA:

Anvisa;

Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina, Biotecnologia e suas Especialidades (Abifina);

Associação Brasileira das Empresas do Setor Fitoterápico, Suplemento Alimentar e de Promoção da Saúde (Abifisa);

Associação Brasileira da Indústria de Medicamentos Isentos de Prescrição (Abimip);

Associação Brasileira da Indústria de Insumos Farmacêuticos (Abiquifi);

Associação Brasileira dos Servidores Públicos (Abrasp);

Associação Brasileira dos Distribuidores e Importadores de Insumos Farmacêuticos, Cosméticos, Veterinários, Alimentícios e Aditivos (Abrifar);

Associação Laboratórios Farmacêuticos Nacionais (Alanac);

Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma);

Sindicato das Indústrias Farmacêuticas no Estado de Goiás (Sindifargo);

Sindicato da Industria de Produtos Farmacêuticos do Estado de São Paulo (Sindusfarma);

Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos do Estado do Rio de Janeiro (Sinfar);

Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró-Genéricos);

Grupo FarmaBrasil.

Voltar

Abbot
Abbvie
Aegerion
Alexion
Allergan
Amgen
Astellas
Astra Zeneca
Bago
Bayer
Besins
Biogen Idec
Biomarin
Biominas
BMS
Boehringer Ingelheim
Celgene
Chiesi
Daiichi Sankyo
Eisai
Ferring Farmaceuticals
Galderma
Ge
Gilead
Glenmark
Grunenthal
GSK
Ipsen
Janssen
LEO
Lilly
Lundbeck
MSD
Mundipharma
Novartis
Novo Nordisk
Pfizer
Pharma Praxis
PTC Therapeutics
Pierre Fabre
Roche
Sanofi Aventis
Servier
Shire
Takeda
Teva
Theraskin
UCB
Vertex Pharmaceuticals
Zambon