Manifesto do setor da Saúde pela retirada da MP 1227

A Interfarma e mais 30 entidades do setor da Saúde pedem ao Governo Federal, através de um Manifesto, a retirada imediata ou devolução pelo Congresso Nacional da MP 1227.

Pedido é feito através de um manifesto divulgado na sexta-feira, 7 de junho de 2024.

A MP revoga o direito da indústria do setor de saúde ao ressarcimento dos créditos comuns da não cumulatividade do PIS e da Cofins relativos a vendas de seus produtos.

Abaixo a íntegra do Manifesto.

Manifesto
As entidades do Setor de Saúde do Brasil abaixo assinadas vêm manifestar profunda preocupação
com a publicação, no último dia 4 de junho de 2024, da Medida Provisória 1.227/2024 que, entre outras
disposições, revoga o direito da indústria da saúde ao ressarcimento dos créditos comuns da não
cumulatividade do PIS e da COFINS relativos a vendas de seus produtos.
Surpreende a declaração dos membros do Governo de que são créditos presumidos entregues aos
empresários. Isso, de longe, não é o que ocorre na indústria da saúde, em especial na farmacêutica.
Para a indústria da saúde, os créditos presumidos de PIS e COFINS apropriados sobre as vendas de
produtos são integralmente repassados aos preços, o que trará impactos negativos para a população,
para a economia e para a própria sustentabilidade do Sistema Único de Saúde – SUS.
Para produzir medicamentos, dispositivos médicos, equipamentos, desonerados do PIS e da COFINS,
a indústria da saúde incorre em custos na compra de insumos que são adquiridos com o ônus do PIS
e da COFINS. Ao revogar abruptamente este direito, o Governo aumenta o custo de produção,
aumentando preços de bens essenciais à vida.
Em outras palavras: quem paga esta conta é o cidadão brasileiro.
Consequência: precarização da saúde, baixa produtividade dos trabalhadores, queda do PIB e da
arrecadação tributária, e até mesmo a interrupção de investimentos.
Diante disso, as entidades do Setor de Saúde do Brasil, abaixo assinadas, manifestam seu repúdio à Medida Provisória 1.227/2024 e instam o Governo para sua retirada ou, caso isto não ocorra, que o
Parlamento a devolva imediatamente, revertendo seus efeitos.

1. Comitê do Complexo Produtivo e Econômico da Saúde e Biotecnologia (FIESP – CIESP)
2. ABAFARMA – Associação Brasileira do Atacado Farmacêutico
3. ABCFARMA – Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico
4. ABIFINA – Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina, Biotecnologia e suas Especialidades
5. ABIFISA – Associação Brasileira das Empresas do Setor Fitoterápico, Suplemento Alimentar e de
Promoção da Saúde
6. ABIIS – Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde
7. ABIMED – Associação Brasileira da Indústria de Tecnologia para Saúde
8. ABIMO – Associação Brasileira da Indústria de Dispositivos Médicos
9. ABIQUIFI – Associação Brasileira das Indústrias de Insumos Farmacêuticos
10. ABRADILAN – Associação Brasileira de Distribuição e Logística de Produtos Farmacêuticos
11. ABRADIMEX – Associação Brasileira dos Distribuidores de Medicamentos Especializados, Excepcionais
e Hospitalares
12. ABRAFARMA – Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias
13. ABRAIDI – Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Produtos para Saúde
14. ABRASP – Associação Brasileira da Indústria de Soluções Parenterais
15. ACESSA – Associação Brasileira da Indústria de Produtos para o Autocuidado em Saúde
16. ALANAC – Associação Laboratórios Farmacêuticos Nacionais
17. CBDL – Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial
18. CNSAÚDE – Confederação Nacional de Saúde
19. FEBRAFAR – Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias
20. FEHOESP – Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo
21. GRUPOFARMABRASIL – Associação Brasileira da Indústria Farmacêutica de Pesquisa e de Capital
Nacional
22. ICOS – Instituto Coalizão Saúde
23. INTERFARMA – Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa
24. PRÓGENÉRICOS – Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos e Biossimilares
25. SINAEMO – Sindicato da Indústria de Artigos e Equipamentos Odontológicos, Médicos e Hospitalares
do Estado de São Paulo
26. SINCOFARMA – Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado de São Paulo
27. SINDICIS – Sindicato das Empresas do Complexo Industrial da Saúde no Estado do Rio Grande do Sul
28. SINDIFARGO – Sindicato das Indústrias Farmacêuticas no Estado de Goiás
29. SINDUSFARMA – Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos
30. SINDUSFARQ – Sindicato das Indústrias de Produtos Farmacêuticos e Químicos para Fins Industriais
no Estado de Minas Gerais
31. SINFAR-RJ – Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos do Estado do Rio de Janeiro

Para acessar o PDF da nota, clique aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *