04/10/2018

Partidos oscilam entre apoio formal e neutralidade em eventual 2º turno

Portal Poder360

Partidos com poucas chances de chegar ao 2º turno na disputa presidencial têm afirmado incerteza sobre qual posição adotarão na eventual continuação do pleito. A dúvida é se declaram apoio formal a 1 dos lados ou se mantêm uma posição neutra.

A 3 dias do 1º turno, pesquisas têm apontado para uma 2ª rodada entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Oficialmente, as siglas dizem que deixarão para decidir após sair o resultado. Ligadas a Geraldo Alckmin (PSDB), legendas não ideológicas do bloco conhecido como “Centrão” apresentam apoiadores tanto do capitão da reserva do Exército como do petista.

Presidentes de siglas como PRB, PP e DEM devem convocar já para a semana que vem reuniões para discutir suas posições.

A correligionários, o presidente do PP, Ciro Nogueira, sinalizou preferir a neutralidade. O partido tem uma das maiores bancadas da Câmara e tende a manter a proporção, o que dificulta 1 consenso a respeito do tema.

No DEM, o apoio a Bolsonaro é mais consolidado, mas articuladores não afirmam com certeza se a sigla se manifestará publicamente a favor do militar.

A legenda abriga 1 dos principais articuladores do candidato do PSL, Onyx Lorenzoni (RS), braço-direito de Bolsonaro e cotado a assumir a Casa Civil do militar.

Onyx fez aniversário nesta 4ª feira (3.out.2018) e deputados demistas aproveitaram a data para dar 1 afago no gaúcho. Alguns vocalizaram em grupos de WhatsApp que Onyx “sempre esteve certo” e que o DEM deveria ter apoiado Bolsonaro.

Uma das principais figuras do DEM, no entanto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia,  evita manifestar sua opinião sobre a atitude do partido num eventual 2º turno, mesmo nos grupos reservados da legenda.

Candidato a vice na chapa de Bolsonaro, general Hamilton Mourão (PRTB) afirmou nesta semana ter esperanças de atrair o apoio de João Amôedo (Novo), Alvaro Dias (Podemos) e parte de nomes ligados a Alckmin.

No outro lado, articuladores do PSB dizem que o partido está dividido sobre apoio formal ao PT. Afirmam que correligionários do Nordeste defendem que seja dado logo o apoio formal a Haddad. Nomes do Sul e Sudeste querem a neutralidade.

O PT tem apoio formal de PC do B e Pros no 1º turno.

Voltar

Disclaimer: todas as informações aqui publicadas tratam-se de transcrições e/ou simples reproduções, devidamente contextualizadas, de manifestações públicas dos principais candidatos à Presidência da República, divulgadas e identificadas por meio dos veículos de comunicação disponíveis (jornais, revistas, televisão, portais de notícias etc), nos mais diversos formatos (impressos, vídeos, digitais, eletrônicos etc), acompanhados sempre do link e/ou citação da respectiva fonte. As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade dos seus respectivos autores, não exprimindo, necessariamente, a opinião da INTERFARMA.

Abbot
Abbvie
Actavis
Actelion
Aegerion
Alexion
Allergan
Amgen
Astellas
Astra Zeneca
Bago
Bayer
Besins
Biogen Idec
Biomarin
Biominas
BMS
Boehringer Ingelheim
Celgene
Chiesi
Daiichi Sankyo
Eisai
Ferring Farmaceuticals
Galderma
Ge
Glenmark
Grunenthal
GSK
Ipsen
Isdin
Janssen
LEO
Lilly
Lundbeck
Merck Serono
MSD
Mundipharma
Novartis
Novo Nordisk
Pfizer
Pharma Praxis
Pierre Fabre
Reckitt
Roche
Sanofi Aventis
Servier
Shire
Stiefel
Takeda
Teva
Theraskin
UCB
Zambon